A MELHOR INFORMAÇÃO

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

MOTOCICLISTA PERDE CONTROLE E BATE EM CANTEIRO CENTRAL DA BR-163.

Acidente aconteceu no perímetro urbano do município de Novo Progresso.

Uma motocicleta “Yamaha Factor Placa QEE 4141” de cor vermelha colidiu com o canteiro central da Rodovia BR-163 no perímetro urbano de Novo Progresso. O acidente aconteceu na tarde desta terça-feira(19), às 17h43mn.

O piloto foi identificado como “Robson Oteiro” ele perdeu controle da motocicleta e colidiu com o canteiro central da rodovia, a vitima foi socorrida pelo SAMU. Robson foi atendido na emergência do HMNP , sofreu escoriações leves e passa bem.

A motocicleta ficou destruída com a colisão.


Fonte Jornal Folha do Progresso com informações policia Militar.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

BALANÇO PARCIAL DA PF CONTABILIZA R$ 33 MILHÕES EM ‘BUNKER’ QUE SERIA DE GEDDEL; 7 MÁQUINAS CONTAM DINHEIROS

Informação foi divulgada no final da tarde desta terça-feira (5) pelo órgão.
Dinheiro encontrado pela Polícia Federal (Foto: Polícia Federal)

Veja a contagem do dinheiro encontrado dentro de malas e caixas em imóvel, em Salvador

Um balanço parcial da Polícia Federal, divulgado na noite desta terça-feira (5) aponta que já estão contabilizados R$ 33 milhões entre o montante encontrado em um apartamento que seria utilizado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima em uma área nobre de Salvador. Ao todo, sete máquinas são usadas na contagem, que, segundo a PF, ainda não foi finalizada. No primeiro balanço, divulgado no fim da tarde, a PF havia contabilizado R$ 22,5 milhões. Um vídeo feito pela PF mostra a contagem das cédulas. [Assista vídeo acima]

A ação de busca e apreensão, chamada de Tesouro Perdido, é um desdobramento das investigações sobre fraudes na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal, a operação Cui Bono. Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco entre 2011 e 2013, durante o governo de Dilma Rousseff. No governo Temer, ele foi ministro da Secretaria de Governo (veja perfil completo mais abaixo).

A prisão de Geddel foi decretada em julho. No pedido à Justiça, o Ministério Público Federal afirmou que Geddel é “um criminoso em série” e que faz dos crimes financeiros e contra a administração pública “sua própria carreira profissional”. O ex-ministro cumpre prisão domiciliar na Bahia há quase dois meses sem tornozeleira eletrônica.

PF achou malas e caixas com dinheiro em endereço de Salvador que seria utilizado por Geddel Vieira Lima como “bunker”. (Foto: Polícia Federal, Divulgação)

As caixas e malas de dinheiro encontradas pela PF nesta terça estavam em um imóvel que fica na Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça. O apartamento teria sido emprestado ao ex-ministro para que guardasse os pertences do seu pai, já falecido. Durante as investigações sobre Geddel, surgiu a suspeita de que ele estava usando o local para esconder provas de atos ilícitos e dinheiro em espécie.

A busca e apreensão no apartamento foi autorizada pela 10ª Vara Federal de Brasília. No mandado judicial, datado de 30 de agosto, consta que “há fundadas razões de que no supracitado imóvel existam elementos probatórios da prática dos crimes relacionados na manipulação de créditos e recursos realizadas na Caixa Econômica Federal”.

Decisão da Justiça Federal que resultou em busca e apreensão no bairro da Graça, em Salvador (Foto: Reprodução)

Um morador do edifício disse ao G1 que viu quando os policiais federais chegaram entre 6h e 7h desta terça-feira. Eles se dirigiram ao segundo andar do prédio.

De acordo com a polícia, os valores apreendidos foram transportados a um banco, para ser contabilizado e, depois, depositado em conta judicial.

O G1 tenta, desde o final da manhã desta terça-feira, falar com a defesa de Geddel, mas ainda não conseguiu contato com o advogado que representa o político.

A Justiça Federal em Brasília aceitou, no final de agosto, denúncia da Procuradoria da República no Distrito Federal e transformou em réu o ex-ministro Geddel Vieira Lima por obstrução de justiça. Geddel foi denunciado após a Operação Cui Bono, por tentativa de atrapalhar as investigações sobre desvios no FI-FGTS, o fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

De acordo com o MPF, entre 2011 e 2013, Geddel agia para beneficiar empresas com liberações de créditos e fornecia informações privilegiadas para os outros membros da quadrilha que integrava. A denúncia foi aceita pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília.

Em nota divulgada após a decisão da Justiça, a defesa de Geddel afirmou que: “Rechaça com veemência as fantasiosas acusações contidas na denúncia, fruto de verdadeiro devaneio e excesso acusatório. Tão logo notificado pelo juízo da 10ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, será apresentada a peça de defesa, oportunidade que demonstrará a inocorrência de qualquer ilícito e a necessidade de rejeição da inepta e inverídica acusação.”

Segundo a denúncia da procuradoria, após as tratativas do operador Lúcio Funaro para fechar um acordo de delação premiada, Geddel começou a atuar para atrapalhar as negociações. O político fez contatos telefônicos constantes com a esposa de Lúcio Funaro, Raquel Albejante Pita.

Ainda segundo o MP, as investidas de Geddel foram reveladas em depoimentos dados por Lúcio Funaro e a esposa e confirmadas por meio de perícia da PF no aparelho telefônico de Raquel Pita. Entre os dias 13 de maio e 1º de julho de 2017, foram 17 ligações.

Aos investigadores, o casal também revelou ter ficado com receio de sofrer intimidações e retaliações por parte de Geddel, uma vez que o político possuía influência e poder, inclusive no primeiro escalão do governo.

Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) deixou o cargo de ministro da Secretaria de Governo em novembro de 2016. Ele foi acusado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero de tê-lo pressionado para liberar uma obra na Ladeira da Barra, áre nobre de Salvador. Geddel era um dos principais responsáveis pela articulação política do governo Temer com deputados e senadores. Ele ficou no cargo por seis meses.

O peemedebista também foi ministro da Integração Nacional do governo Lula, entre 2007 e 2010, depois de ter sido crítico ferrenho do primeiro mandato do petista e defensor do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). No ministério, encampou a transposição do Rio São Francisco, que prometeu efetivar em seu mandato.

Atuou como vice-presidente de Pessoa Jurídica na Caixa entre 2011 e 2013, cargo do qual chegou a pedir exoneração pelo Twitter à então presidente Dilma Rousseff, pela possibilidade de concorrer nas eleições seguintes. Quem o convidou para o cargo foi Michel Temer. Foi derrotado por Otto Alencar (PSD) na eleição ao Senado.

Formado em administração de empresas pela Universidade de Brasília, é natural de Salvador, onde foi assessor da Casa Civil da Prefeitura entre 1988 e 1989. Em 1990, filiou-se ao PMDB, partido pelo qual foi eleito cinco vezes deputado federal.



Por: G1 BA

NOVO PROGRESSO VAI COMEMORAR A SEMANA DA PÁTRIA COM DESFILE DIA 07 DE SETEMBRO

A programação oficial da Semana da Pátria 2017 iniciou na sexta-feira passada (1). O município de Novo Progresso, a organização para realizar desfiles de escolas e instituições militares, em comemoração ao aniversário da independência do Brasil está a cargo da SEMED-Sec. Municipal de Educação.

Em Novo Progresso, a abertura oficial da Semana da Pátria ocorreu em frente a Prefeitura Municipal, às 8h30. Com a temática “Brava gente que o progresso constrói!”, a secretaria municipal de Educação (Semed) realiza no município uma programação do desfile, que será na Avenida Jamanxim, quinta-feira(07), com palco a ser montado em frente a Nossa loja e ornamentação alusiva ao momento cívico.


33 instituições estão inscritas para desfilar, entre escolas das redes municipal, estadual e particular, além de instituições civis e militares. O desfile deve começar as 07:30 hrs encerramento da programação será cerca de 02 horas depois.



Redação cultura FM 87.9(Édio Rosa)

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

BRASIL MANTÉM COOPERAÇÃO COM 48 PAÍSES PARA INVESTIGAR LAVA JATO NO EXTERIOR.

Auxílio mútuo envolve obtenção de provas, rastreamento e recuperação de dinheiro sujo; equipes conjuntas ainda aguardam aval do governo.


As irregularidades delatadas por executivos das construtoras brasileiras nos contratos com o setor público no exterior levaram a Operação Lava Jato para outros países. Para investigar as denúncias, o Brasil e outros 48 países já fizeram 291 pedidos de cooperação internacional desde 2014. Há, no entanto, entraves para formação de equipes conjuntas multinacionais de investigação.

O maior volume de pedidos parte dos procuradores brasileiros. Ao todo, eles solicitaram 172 medidas em 38 países. Na direção oposta, o Brasil recebeu 119 pedidos de 29 países que buscam auxílio para apurar as denúncias (veja no mapa a origem dos pedidos).

Veja mapa da cooperação internacional na Lava Jato (Foto: Arte/G1)



A Procuradoria Geral da República (PGR), que conduz as investigações no Brasil, é quem recebe e envia os pedidos de cooperação internacional. O órgão não sabe precisar quantos pedidos já foram parcial ou integralmente atendidos, pois cada um pode conter vários itens (entenda mais abaixo).

A tendência, porém, é que a ajuda pedida seja prestada ao longo do tempo, dependendo da complexidade e de eventuais barreiras jurídicas decorrentes das diferenças nas leis de cada país.

A maior parte dos casos ligados à Lava Jato envolve a Odebrecht. As investigações estão em diferentes estágios nos países em que a empresa operava, como mostra reportagem do G1.

SAIBA TUDO SOBRE A DELAÇÃO DA ODEBRECHT

Busca por provas

A descoberta dos crimes e a punição dos responsáveis no exterior cabe às autoridades locais. Com a divulgação dos vídeos com depoimentos de executivos da Odebrecht, diversas irregularidades envolvendo a operação internacional da empresa vieram à tona.

Marcelo Odebrecht é um dos executivos da Odebrecht que fizeram delação premiada e tiveram depoimentos divulgados (Foto: Reprodução)

Na delação firmada no Brasil, os executivos da construtora confessaram que cometeram lá fora basicamente os mesmos delitos praticados aqui: obtenção de contratos para obras públicas mediante pagamento de propina para políticos e agentes públicos que as promoviam.

Boa parte da ajuda pedida ao Brasil por investigadores desses países busca obter informações ou provas sobre o envolvimento das autoridades estrangeiras corrompidas.

Há também pedidos para ouvir brasileiros sobre os casos – já foram tomados mais de 40 depoimentos por videoconferência na Lava Jato. Há também solicitações para levantar dinheiro sujo depositado no Brasil ou bens comprados com propina localizados aqui.

Já a ajuda pedida pelo Brasil aos demais países, mais numerosa, destina-se basicamente à coleta de provas. “A maior parte dos pedidos feitos pelo Brasil são probatórios, para obter provas bancárias, e recuperar ativos: bloqueio para confisco”, explica o procurador Vladimir Aras, secretário de Cooperação Jurídica PGR.

As provas podem ser documentos, laudos periciais ou depoimentos de testemunhas, vítimas, peritos ou acusados. A recuperação de dinheiro roubado depositado fora, muitas vezes, serve para reparar os danos causados às estatais no Brasil, principalmente a Petrobras, foco da Lava Jato.

Dificuldades

Uma das maiores dificuldades dos investigadores é justamente levantar provas dos delitos coletadas por outro país. Isso porque cada país tem regras próprias para usá-las num processo penal, seja nos limites impostos à polícia na coleta seja na sua validação pelo Judiciário para condenar alguém.

No caso da Lava Jato, boa parte das provas foi obtida em delações premiadas e, por isso, tem seu uso ainda mais restrito. A premissa do acordo de delação é que o colaborador aceita apontar delitos e provas em troca de benefícios.

“Ele [o colaborador] contou tudo, inclusive sobre a Argentina, mas ele já está punido [no Brasil] pelo que aconteceu na Argentina ou em qualquer outro lugar. Partindo do pressuposto que eles contaram tudo, de boa-fé, contaram porque obtiveram benefícios legais no Brasil. Não é que outro país tenha de dar esses benefícios a ele, nós já demos, de acordo com nossa lei, inclusive pelo que fizeram fora. Porque essas pessoas, como brasileiras, jamais seriam extraditadas para responder fora”, explica Aras, dando como exemplo as investigações no país vizinho.

A ideia de restringir o uso da prova é evitar, por exemplo, que o delator seja punido duas vezes, no Brasil e no exterior, pelo mesmo crime.

Outra dificuldade está na formação de equipes de investigação entre o Brasil e outros países. Elas deviam funcionar como forças-tarefa, nas quais procuradores e policiais, brasileiros e estrangeiros, atuam em conjunto nos dois territórios.

“Qualquer equipe conjunta de investigação facilita, porque acelera e simplifica a coleta de novas provas”, explica Aras.

O instrumento só foi testado uma única vez pelo Brasil, numa parceria com a Argentina, entre 2014 e 2016, para apurar desaparecimentos e assassinatos políticos da Operação Condor, aliança entre regimes militares sul-americanos para perseguir adversários nos anos 70 e 80.

Na Lava Jato, quatro países já pediram equipes conjuntas com o Brasil: Suíça e Espanha, no ano passado, além de Argentina e Peru, neste ano. As equipes ainda não foram formadas, no entanto, porque têm de passar pelo aval da autoridade central dos países – no caso do Brasil, o governo.

Responsável por essa liberação, o Ministério da Justiça alega a necessidade de ajustes jurídicos, principalmente para evitar a invalidação das provas nos processos.


“A gente não tem interesses antagônicos ao Ministério Público ou à Polícia Federal. Pelo contrário, quanto mais investigação, melhor, respeitados os parâmetros legais, para que a gente não enfrente problemas que já tivemos no passado, em especial de chegar lá na frente e termos um dissabor por haver vício na prova”, diz Luiz Roberto Ungaretti, chefe do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional (DRCI), do Ministério da Justiça.

Em sua delação, Emilio Odebrecht (à direita) contou irregularidades na obtenção de crédito do BNDES para obras no exterior (Foto: Reprodução)


Por Renan Ramalho, G1, Brasília
04/09/2017 07h01  Atualizado há 2 horas

http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/brasil-mantem-cooperacao-com-48-paises-para-investigar-lava-jato-no-exterior.ghtml

RURÓPOLIS: NENHUM VEÍCULO PASSA EM BLOQUEIO NAS BRS 230 E 163.

Entrando no 8º dia de protestos nesta segunda (4), a população resolveu radicalizar abrindo uma vala nas rodovias BR 163 e BR230 em Rurópolis no sudoeste do Pará, sentido Itaituba, máquinas pesadas foram usadas para interromper o tráfego no local, até negociação com o DNIT.

Na tarde desta quinta-feira (31), houve princípio de tumulto entre manifestantes e caminhoneiros que tentaram furar o bloqueio, a polícia militar foi acionada e conteve os ânimos. Os protestos começaram no domingo (27), os moradores cobram melhorias das rodovias no Oeste do Pará e pavimentação de um trecho de 10km no centro urbano de Rurópolis.

Até o momento as negociações não avançaram, DNIT ainda não se pronunciou sobre o caso.


Por: Felype Adms | Xingu230

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

FLONA JAMANXIM- DEPUTADO QUER AUDIÊNCIA PÚBLICA

O Deputado Federal Alessandro Molon (REDE –RJ) apresentou requerimento com objetivo de propor a realização de Audiência Pública com intuito de aprofundar o debate acerca do PL 8.107/17 que altera os limites da Floresta Nacional do Jamanxim e cria a Área de Proteção Ambiental do Jamanxim, localizadas no Município de Novo Progresso, Estado do Pará.

Ele protocolou no dia 24 de Agosto na sala das comissões e indicou os seguintes convidados:

-Heron Martins
-Pesquisador Assistente / Imazon
-Michel de Souza Santos
-Coordenador de Políticas Públicas / WWF Brasil
-Representante do Greenpeace Brasil
-Representante do IPAM
-Ciro Campos
-Analista Socioambiental / Instituto
Socioambiental
-ISA
-Daniel Azeredo
-Secretário Executivo 4ºCCR/MPF, Procurador da República

Situação.

O PL esta aguardando Criação de Comissão Temporária pela MESA e tramitara em quatro ou mais comissões Veja AQUI.


PL-08107/2017 - Altera os limites da Floresta Nacional do Jamanxim e cria a Área de Proteção Ambiental do Jamanxim, localizadas no Município de Novo Progresso, Estado do Pará.

- 23/08/2017      Apresentação do Requerimento n. 215/2017, pelo Deputado Alessandro Molon (REDE-RJ), que: "Requer a realização de Audiência Pública para debater o PL 8.107/17".



Fonte: Blog do Adécio

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

POLÍCIA MILITAR PRENDE ASSALTANTES QUE AGIA EM VIA PÚBLICA EM NOVO PROGRESSO.

José Vitor Martins, 24 anos e Francisco Neto Felix, 23 anos, os dois foram presos em flagrante minutos após terem cometido assalto em via pública na cidade de Novo Progresso.

Os dois foram presos pela guarnição da Policia Militar comandada pelo Sargento Rilton , cabo Jonathan e cabo Francisco e apresentados na Delegacia de Polícia Civil, eles são acusados de terem assaltado uma mulher e roubado a bolsa e o celular da vítima.

De acordo com a polícia, a dupla  usava uma motocicleta para roubar as pessoas que caminhavam pelas ruas.

Perseguição

Em uma ação rápida comandada pelos policiais militares; Sargento Rilton, cabo Jonathan e cabo Francisco, foi preso José Vitor Martins, 24 anos e Francisco Neto Felix,23 anos, os dois foram presos em flagrante poucos minutos depois de terem cometido um assalto em via pública, tendo como vítima uma mulher de 29 anos, a mesma relatou que foi assaltada quando transitava na rua São Pedro no Bairro Jardim América e os bandidos levaram uma mochila jeans com estampa desenhada de um elefante,  contendo todos os seus documentos, cartões de crédito e um celular de marca Quantum You de cor azul.

Crime

O crime ocorreu por volta das 22h30mn desta quinta-feira (23) , quando de posse da ocorrência os policiais militares saíram no encalço dos assaltantes,  onde foram encontrados transitando na avenida Dr. Isaías em uma moto Honda Bros cc150 de cor preta sem placa, ao avistarem a viatura da policia atearam fuga fugiram, após perseguição foram capturados na rua São Pedro , no bairro Jardim Santarém e apresentados na DEPOL.

Reconhecimento

Após a prisão a vítima “mulher de 29 anos“ reconheceu os dois como autores do roubo, inclusive a moto Honda NXR 150 Bros de cor preta e sem placa.

A policia fez diligência no endereço dos assaltantes na rua 15 de novembro no bairro Santa Luzia, onde encontrou um aparelho celular de marca “Sansung J7” de cor dourado no quarto de José Vitor, estava sem nota fiscal, já os pertences da vítimas não foi encontrado, a policia acredita que eles podem ter jogado  pelo caminho durante a perseguição em via pública.

A guarnição da policia militar tirou na noite de quinta-feira (23)  três assaltantes que realizavam assaltos em via publica de circulação. Leia: Malhas da Lei: PM prende assaltante com pistola simulacro.



Motocicleta sem placa usada para assaltar as vitimas foi presa.

Da Redação Jornal Folha do Progresso com informações e fotos Policia Militar.

JUSTIÇA BLOQUEIA BENS DE EX-PREFEITO E MAIS 13 VEREADORES DE JURUTI.

Prejuízo ao município foi de mais de R$156 mil, de acordo com o Ministério Público.

O Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA) decretou bloqueio de bens do ex-prefeito de Juruti, Marco Aurélio Dolzane do Couto e mais 13 vereadores do município da região do Baixo Amazonas. Com a determinação do juiz Vilmar Durval Macedo Júnior, juiz substituto da Comarca de Juruti, os bens de Marco Couto foram indisponibilizados no limite de R$312 mil e em R$35.230,15 para cada um dos vereadores. As informações foram divulgadas na tarde desta quinta-feira (24).

A decisão do magistrado atende à ação ajuizada pela representação municipal do Ministério Público, que denunciou os políticos pela prática de improbidade, com a acusação de suposta instalação de esquema criminoso de pagamento de propina, custeado pelos cofres públicos, para garantia de apoio ao então governo. De acordo com o MP, o ex-gestor deveria repassar aos vereadores, mensalmente, a quantia de R$ 2 mil, além de 100 litros de diesel, 100 litros de gasolina, 10 passagens de barco Juruti-Manaus e 10 passagens de barco Juruti-Santarém. O esquema teria ocorrido no período entre abril e setembro de 2014, sem os combustíveis, o prejuízo ao município foi de R$ 156 mil.

Como provas, o Ministério Público juntou à ação documentos apresentados pela Arcojuve e pelo Sinproej, informando supostas práticas de improbidade administrativa por parte dos ex-prefeito e vereadores, gravação de áudios onde se verificou negociatas de pagamento, concessão de combustível e passagens e cobrança por parte de alguns vereadores ao prefeito em virtude do atraso do pagamento ilícito; e laudo atestando a autenticidade da gravação realizada.



Fonte: ORMNews.

MORADORES DE RURÓPOLIS BLOQUEIAM RODOVIA TRANSAMAZÔNICA.

Era por volta de 12h de domingo (27), quando moradores do município de Rurópolis, oeste do Pará, interditaram dois trechos da BR-230 (Rodovia Tansamazônica). Os perímetros bloqueados são na saída para Altamira e saída para Itaituba.

Segundo os manifestantes, a pauta se refere a demanda apresentada junto a Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e exigem a presença de um representante do órgão. Eles reivindicam a pavimentação de 10 km da rodovia, que passa na zona urbana do município, no trecho entre o lixão e a cooperativa de leite.

Ainda de acordo com as lideranças do protesto, a passagem de veículos será liberada de 12 em 12 horas.



RG 15 / O Impacto

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

CRIADA A COMISSÃO NO CONGRESSO PARA ANALISAR LEI DA REDEFINIÇÃO DA RESERVA JAMANXIM

O Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, atendendo ao regimento da casa, determinou a criação da Comissão Especial que analisará o Projeto de Lei do Jamanxim. A Comissão será composta por trinta e cinco membros titulares e igual número de suplentes e deverá emitir parecer sobre o Projeto de Lei nº 8.701/2017 que altera os limites da Floresta Nacional do Jamanxim e cria a Área de Proteção Ambiental do Jamanxim, localizadas em Novo Progresso, estado do Pará.

Os partidos agora devem indicar seus representantes de acordo com o a representação de cada um no plenário. Depois de indicado os membros, haverá a primeira reunião da Comissão Especial na qual será eleito o Presidente e escolhido o relator.

O relator será responsável por analisar o texto original do projeto, analisar as doze emendas oferecidas e redigir o novo texto. É fundamental que o relator escolhido seja alguém da base do governo, de preferência do estado do Pará e familiar a questão do Jamanxim e ao problemas de Novo Progresso.


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil composta no Fotor.com com print do ato de criação da Comissão Especial

PASTOR É MORTO COM UMA FACADA NA COMUNIDADE DE PIMENTAL

De acordo com a polícia do município de Trairão, por volta das 19:00 horas, o pastor identificado como João Gomes da Silva de cinquenta anos de idade, foi morto com uma facada no torax na comunidade de Pimental, 45 quilômetros da sede do município.

Ainda de acordo com a Polícia Civil o motivo seria uma dívida de serviço que o acusado, Antônio Martins Feitosa de 46 anos, tinha com a vítima que trabalhava como serrador.

A polícia civil ainda fez procuração do acusado em sua residência e encontrou seus documentos, o mesmo teria fugido da comunidade através de embarcação no rio Tapajós.



Fonte: Portal Giro com informações da polícia civil de Trairão

JOVEM MORRE EM CAPOTAMENTO NA BR 163 PRÓXIMO A RURÓPOLIS

Segundo as informações da PRF , sobre o sinistro que aconteceu na Santarém/Cuiabá na manhã de Sábado (19) nas proximidades da cidade de Rurópolis, o fato aconteceu as 09:18 horas no Km 826 da BR 163, munícipio de Rurópolis-PA.

Segundo o chefe da PRF em Santarém, Inspetor Sidmar o acidente ocorreu do tipo saída de pista seguido de capotamento envolvendo o Veículo Toyota Etios, placa QBC7400, de cor prata, licenciado em Cuiabá-MT, guiado pelo nacional Robério Ferreira dos Santos (óbito no local) e tendo como passageiro o nacional José Henrique Silva Nascimento(lesões leves) ambos residentes na localidade de Divinópolis, distristo da cidade de Rurópolis.

Depois que foi comunicada sobre a ocorrência, uma Equipe da PRF compareceu ao local do acidente e de acordo com informações colhidas do passageiro senhor José Henrique, o veículo seguia sentido Rurópolis-Santarém em velocidade normal para a via e não houve envolvimento de outro veículo no acidente, porém não soube informar o qual de fato foi a causa da saída de pista do veículo. No local, obeservou-se poucas evidências da ocorrência do acidente, pois o veículo acidentado caiu em uma vala de cerca de 6 metros de altura, distante 65 metros da pista de rolamento. Observado e medido no local, apenas uma marca de frenagem de 50 metros. Vitimas removidas até o hospital da cidade de Rurópolis.



Fonte: Grupo Elias Junior Notícias/ PRF

ICMBIO ATEIA FOGO EM TRÊS CAMINHÕES CARREGADOS DE TORAS DE MADEIRA NO CENTRO DE TRAIRÃO/PA.

Segundo informações a imprensa por um policial militar do município de Trairão, três caminhões carregados de toras de madeiras foram incendiados pelo órgão ambiental ICMBio no centro da cidade, na rodovia BR 163. Os caminhões foram apreendidos na vicinal do Arizona, 15 km de Trairão, e seriam encaminhados para o município de Itaituba.

Bloqueio na rodovia

Ainda segundo informações, no momento em que os agentes do órgão chegaram em Trairão foram impedidos, por moradores, de seguir viagem. Os moradores fizeram um bloqueio com pneus e madeira e atearam fogo sobre a Ponte. Em seguida passaram a jogar pedras nos agentes que logo atearam fogo nos caminhões e retornaram sentido ao município de Novo Progresso.

As operações de órgãos ambientais estão sendo intensificadas há alguns meses na região, principalmente no município de Novo Progresso, onde estão concentrados os agentes e órgãos responsáveis.


Fonte: Portal Giro / O seu informativo diário

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

PRESIDENTE TEMER LANÇA COLHEITA DO ALGODÃO EM LUCAS DO RIO VERDE E INAUGURA USINA.

O presidente Michel Temer (PMDB) acaba de lançar, em Lucas do Rio Verde, a colheita nacional de algodão, na fazenda Cortezia. Temer subiu em uma colheitadeira, por alguns instantes, e andou alguns metros na plantação para ver a qualidade da pluma, acompanhado do governador Pedro Taques, o ministro Blairo Maggi, o prefeito Luiz Binotti e parlamentares. Mato Grosso está entre os principais produtores nacionais de algodão e, na última safra produziu 876 mil toneladas em pluma e neste ano deve crescer cerca de 12%, ultrapassando 980 mil toneladas.

Daqui a pouco, o presidente inaugura a usina de etanol, a base de milho, construída pela FS, onde foram investidos US$ 115 milhões e é um dos principais empreendimentos do gênero no país, que produzirá anualmente aproximadamente 210 milhões de litros de etanol, 180 mil toneladas do 3 coprodutos, e 6,2 mil toneladas de óleo de milho, além de exportar 60.000 megawatts de eletricidade.

Além de Taques, governadores do Centro-Oeste (que participam em Cuiabá de fórum de goverandores) estão em Lucas acompanhando o presidente - Confúcio Moura, de Rondônia, Marcelo Miranda, Tocantins e também o ministro argentino Leopoldo Saorea.

O presidente deve retornar a Sinop no final da manhã e, de avião, voltar para Brasília. Conforme Só Notícias já informou, o avião da presidência pousou em Sinop, no aeroporto João Figueiredo, às 7hs. Temer foi recebido pela prefeita Rosana Martinelli, com quem conversou por alguns minutos, na pista. Ele veio acompanhado do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, o senador José Medeiros, os deputados Nilson Leitao, Adilton Sachetti, Victorio Galli e o suplente Xuxu Dalmolin. O presidente e parlamentares seguiram em dois helicópteros, da presidência, a Lucas do Rio Verde.

Não houve manifestações nem incidentes em Sinop na chegada do presidente. A via de acesso ao aeroporto foi bloqueada pela polícia e só passaram funcionários do aeroporto, autoridades e profissionais da imprensa. Além de policiais federais e agentes de segurança da presidência, houve reforço da PM.

Em Lucas do Rio Verde, na fazenda onde houve lançamento e na usina, também não houve manifestos. Na BR-163, carreteiros e caminhoneiros continuam protestando contra a decisão do governo Temer de aumentar impostos (Cofins e PIS) sobre os combustíveis que também encareu o frete. Veículos de passeio, ônibus e carretas com cargas vivas estão passando.


(Atualizada às 09:18h - Fotos: Só Notícias/Diego Oliveira)
11/08/2017 - 08:50


Fonte: Só Notícias/Editoria com Herbert de Souza, de Lucas do Rio Verde.

SENADO APROVA PEC QUE TORNA ESTUPRO CRIME IMPRESCRITÍVEL

Com isso, não haverá mais tempo mínimo para que as vítimas desse tipo de crime façam a denúncia à Justiça.

O plenário do Senado aprovou ontem (9), em segundo turno, a proposta de emenda à Constituição que torna imprescritíveis os crimes de estupro. O texto, do senador Jorge Viana (PT-AC), foi aprovado por 61 votos favoráveis e nenhum contrário e segue agora para a Câmara dos Deputados.

Com isso, não haverá mais tempo mínimo para que as vítimas desse tipo de crime façam a denúncia à Justiça. Hoje, esse prazo é de 20 anos, após o qual, mesmo que a vítima denuncie, o autor do crime não pode mais responder por ele. A lei atual estabelece que o estupro é crime inafiançável e hediondo, o que agrava a pena e reduz o acesso a benefícios relacionados à execução penal.

Apesar das punições já mais duras, a relatora da matéria, senadora Simone Tebet (PMDB-MS), acredita que a retirada da prescrição será importante especialmente nos casos em que a vítima é criança e só tem condições de denunciar depois de adulta.

Além dos casos de menoes de idade e de situações em que o abuso ocorre dentro do ambiente familiar, há ainda casos em que as vítimas têm vergonha de denunciar porque sofrem preconceito a respeito do local em que estavam ou da roupa que estavam usando, na opinião da senadora.

“É esse lapso de tempo que fertiliza a impunidade, e é essa impunidade que se pretende combater, ao tornar o estupro, como o racismo, um crime imprescritível”, afirmou a relatora.

Para o autor da proposta, a mudança vai ajudar a revelar casos mesmo após muitos anos. “Esta Proposta de Emenda a Constituição é uma resposta, é uma voz que vai se sobrepor ao silêncio que temos hoje desse quase meio milhão de crimes de estupro [por ano] que o Brasil vive e silencia”, afirmou Jorge Viana.

Para o senador, a mudança constitucional “manda um recado duro para os estupradores que fazem do Brasil um país campeão de estupros, dizendo: 'olha, se você cometer um estupro, a qualquer momento você pagará por ele'”.



Texto: Agência Brasil

PROJETO DA FERROVIA PARAENSE É APRESENTADO A EXPOENTES DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.

Um dos mais importantes fóruns de discussão e identificação de oportunidades de desenvolvimento das cadeias produtivas do Brasil abriu espaço nesta quarta-feira (9), para o projeto da Ferrovia Paraense. Por mais de uma hora, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará, Adnan Demachki, falou aos representantes de 63 órgãos e entidades ligados ao agronegócio brasileiro durante a 55ª Reunião Ordinária da Câmara Temática de Infraestrutura e Logística do Agronegócio. O encontro aconteceu no prédio do Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Mapa), em Brasília.

As Câmaras Setoriais e Temáticas são fóruns de interlocução criados pelo Ministério da Agricultura para a definição das ações prioritárias de interesse do agronegócio brasileiro e seu relacionamento com os mercados interno e externo. A Câmara Temática trata de serviços, temas ou áreas de conhecimento relacionadas às diversas cadeias produtivas, e é constituída por representantes de várias entidades.

Na reunião de hoje, o projeto da ferrovia teve a atenção dos principais órgãos e entidades ligados à infraestrutura e logística no Brasil, como os ministérios da Agricultura, Fazenda, Planejamento e Transportes; BNDES, Sociedade Rural Brasileira, Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), Associação Brasileira do Agronegócio, Associação Brasileira dos Exportadores de Carne, Associação Brasileira da Indústria Ferroviária, Associação Brasileira de Movimentação e Logística, Associação Brasileira de Terminais Portuários, Associação dos Exportadores de Açúcar e Álcool, Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários e Associação Nacional dos Usuários de Transportes de Cargas (ANUT).

Adnan Demachki expôs aos membros da Câmara todos os detalhes do projeto, explicando sua relação com o desenvolvimento não só do Pará, mas de todo o País. Falou ainda da conectividade entre a ferrovia paraense e outros dois projetos ferroviários em implantação no estado, como a Ferrovia Norte-Sul e a Ferrogrão. Sobre esta última, o titular da Sedeme foi enfático: “Queremos contribuir com a Ferrogrão, que vai exportar a soja do Mato Grosso pelos portos paraenses, mas queremos também que o Mato Grosso e o Brasil nos ajudem a escoar a soja paraense pela nossa ferrovia”.

Luis Henrique Baldez, diretor-presidente da Associação Nacional dos Usuários de Transportes de Cargas, classificou o projeto da ferrovia do Pará como “bem concebido e bem estruturado”. “O estado do Pará, rico como é, precisa viabilizar sua logística para não ficar só no potencial. Por isso é tão importante esse trabalho que vem sendo feito pelo secretário e pelo próprio governador, de percorrer o país mostrando o projeto e sua viabilidade, para captar parceiros”, disse Baldez.

Edeon Vaz Pereira, presidente da Câmara Temática de Infraestrutura e Logística do Agronegócio e da Aprosoja, disse que “a ferrovia vem resgatar a necessidade de infraestrutura e logística de uma área importante”. “Diferente dos Estados Unidos, por exemplo, onde a infraestrutura foi na frente e a ocupação acompanhou, temos um cenário em que produtor vai na frente e o governo corre atrás com a infraestrutura. Esse projeto paraense é um dos poucos que caminha no sentido de garantir primeiro a infraestrutura, para estimular a ocupação e o desenvolvimento”, comentou.

Nos próximos dias, o presidente da Câmara Temática vai viajar à Rússia para conhecer o sistema ferroviário daquele país, um dos que mais utiliza esse tipo de logística no mundo. “Vou levar aos russos esse projeto da Ferrovia Paraense, para apresentá-lo nos três dias em que estarei dialogando com o empresariado local, de forma a mostrar o seu potencial como alimentador da Ferrovia Norte-Sul”, informou.

A Ferrovia

A Ferrovia Paraense deverá cortar a porção oriental do estado de sul a norte em 1.316 quilômetros, devendo se conectar com a Ferrovia Norte-Sul, permitindo que esta chegue até o Porto de Barcarena, que no Brasil é o mais próximo dos grandes mercados consumidores como China, Europa e Estados Unidos.

O custo do projeto é estimado em R$ 14 bilhões, considerando investimentos na construção da própria ferrovia e de entrepostos de carga. O licenciamento ambiental está sendo conduzido por órgãos estaduais, com chance de o vencedor do certame assinar o contrato de concessão já com a licença em mãos, e também foi feito um mapeamento de desapropriações de 770 imóveis ao longo da ferrovia.

A possibilidade de coligação da Ferrovia Paraense com a Norte-Sul, num trajeto de apenas 58 quilômetros entre Rondon do Pará (PA) e Açailândia (MA) - trecho final da Norte-Sul - abre caminho para uma nova alternativa de escoamento de carga em um porto paraense, e é um dos atrativos do projeto para a iniciativa privada.

A Ferrovia Paraense cruzará 23 municípios paraenses e terá capacidade de carga de até 170 milhões de toneladas/ano.


Fonte: agenciaparadenoticias.com.br